AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





Revista O Empresário / Número 134 · Setembro de 2009



Minha avó, de mais de 90 anos, estava sentada na varanda, cabisbaixa, olhando para suas mãos.

Sentei-me perto dela e depois de um tempo quieto, perguntei-lhe se estava bem. Ela levantou a cabeça e com um sorriso lindo me disse que sim, que estava muito bem.

Ela perguntou-me:

- Alguma vez você ja viu bem suas mãos? Vê-las como se deve?

Sem entender o que ela queria dizer, olhei para as minhas mãos.

Então ela me disse:

- Você já pensou em quanto suas mãos o serviram desde o seu nascimento? Veja as minhas, por exemplo: cheias de rugas, secas e fracas foram as ferramentas que utilizei para abraçar a vida. Elas permitiram agarrar-me a qualquer coisa para evitar cair antes de eu aprender a andar. Levaram comida a minha boca, me ajudaram a me vestir.

Quando criança minha mãe me mostrou como uní-las para rezar. Elas ataram os cordões dos meus sapatos, afagaram meu marido e enxugaram minhas lágrimas quando ele foi para a guerra.

Não tiveram jeito algum quando tentei segurar o meu primeiro filho. Decorada com a aliança de casamento, mostraram que eu amava alguém único e especial.

Elas escreveram cartas ao seu avô e tremeram quando ele foi enterrado. Elas seguraram os meus filhos, depois os meus netos, consolaram os vizinhos e também tremeram de raiva quando havia alguma coisa que eu não compreendia.

Estas mãos contêm a história da minha vida, mas o mais importante é que serão estas mesmas mãos que um dia Deus segurará para me levar com ele para o seu Paraíso.

A partir daquele momento passei a olhar para as minhas mãos de maneira diferente, prestando atenção e cuidando melhor dela.

Um dia, Deus estendeu Suas mãos para minha avó.

Quando faço carinho em meus filhos, em minha esposa, quando minhas mãos estão sensíveis ou calejadas, me lembro dessa conversa com a minha avó, que apesar da idade, teve a lucidez de me fazer compreender o valor das minhas mãos.
Administração & Política
» O conselheiro
» O calote aumentou
» Lei eleitoral abre espaço para a internet
» Conhecer e tratar pessoas requer habilidade
Colaboradores
» As mãos de minha avó
» Equilíbrio
» Apenas amor
Comportamento
» Comentário de Max Gheringer
» Pinçados de Fernando Pessoa
» O descanso do presidente
» Manual básico para iniciantes
» Poema do amigo
» Os benefícios da podologia
» Cuidado com as emoções no trabalho
» Como é a personalidade do seu chefe?
» A chave do sucesso profissional
Comunicação & Internet
» Etiqueta ao celular
» O poder do WWW
» Entreouvido por aí
» Você faria isto?
» Lições úteis para o seu dia a dia
Empreendedorismo
» Como motivar sua equipe
» O microcrédito ficou melhor
» Exemplo de criatividade
» O cheque voltou
» Faça as perguntas certas ao seu cliente
» Os 20 mandamentos da boa gestão
Finanças
» Brasileiro fica vermelho no cheque especial
» Bancos manobram para não perder
» Marca pra mim
Humor & Curiosidades
» O Mala Man
» A vida de casada como ela é
» Responsabilidade
» Vendedor liso
» Funcionário sincero
» O empregado e o aumento
» Recrutamento e seleção
» Patrão sincero
» Dia de folga
» Valor do tempo
Jurisprudência & Segurança
» Carta para um bandido
» As coisas não andam bem para advogados quando...
» Jesus pode ser despejado
» Publicidade com conselho
» Estupradores beneficiados pela lei
Mercado de Trabalho & Educação
» De sardinhas a tubarões
» Crise pune menor escolaridade
» AECambuí oferecerá um curso inédito
Rapidinhas do Leôncio
» Notas de setembro
AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide